Subcontratante de produtos farmacêuticos | Omron, Portugal

Início de sessão

Please use more than 6 characters. Forgot your password? Click here to reset.

Alterar palavra-passe

Temos experienciado dificuldades técnicas. O seu pedido não foi submetido com sucesso. Por favor aceite as nossas desculpas e tente novamente mais tarde. Detalhes: [details]

Download

Registo

Temos experienciado dificuldades técnicas. O seu pedido não foi submetido com sucesso. Por favor aceite as nossas desculpas e tente novamente mais tarde. Detalhes: [details]

Download

Obrigado por se registar na Omron

Foi-lhe enviado um e-mail para concluir o registo da sua conta para

Voltar ao Website

obtenha acesso directo

Preencha os seus dados abaixo e obtenha acesso directo ao conteúdo desta página

Text error notification

Text error notification

Checkbox error notification

Checkbox error notification

Temos experienciado dificuldades técnicas. O seu pedido não foi submetido com sucesso. Por favor aceite as nossas desculpas e tente novamente mais tarde. Detalhes: [details]

Download

Agradecemos o seu interesse

Já tem acesso a Subcontratante de produtos farmacêuticos

Foi enviado um e-mail de confirmação para

Continuar para a página

ou obtenha acesso directo para transferir este documento

Subcontratante de produtos farmacêuticos

Como é que um subcontratante forneceu 1 milhão de embalagens serializadas para vários clientes farmacêuticos com normas e procedimentos distintos, no âmbito de uma rede de vários locais de produção, subcontratantes, reembaladores e outros prestadores de serviços e tudo isto de acordo com os regulamentos previstos pela UE para registar centralmente todos os códigos exclusivos?

A aplicação de um código serializado no âmbito da linha de produção parece ser uma tarefa relativamente fácil, especialmente porque existem várias soluções comerciais no mercado. Contudo, com a necessidade de registar estes códigos num servidor central, as empresas farmacêuticas deparam-se com um novo desafio: configurar um processo de comunicação e tratamento de dados adicional, seguro e isento de erros.

E com uma rede de locais de produção, empresas subcontratadas, embalagem e outros serviços, a comunicação por intranet pode chegar a ser um desafio adicional enorme, especialmente num enquadramento de mercado onde não há standards definidos, com mudanças e actualizações frequentes.

Quando Hans-Peter Supik avaliou as soluções de serialização existentes há cerca de um ano, constatou rapidamente que estas não satisfariam todos os seus requisitos e não seriam suficientemente flexíveis no ambiente actual. "Por isso, procurámos na nossa rede local e contactámos a REA Printing, que sabíamos ser muito entendida na impressão de códigos serializados", afirmou Hans-Peter Supik. "Hoje em dia, com a experiência de mais de 1 milhão de embalagens serializadas, estou muito satisfeito com a minha escolha."