Da produção à gestão | Omron, Portugal

Início de sessão

Please use more than 6 characters. Forgot your password? Click here to reset.

Alterar palavra-passe

Temos experienciado dificuldades técnicas. O seu pedido não foi submetido com sucesso. Por favor aceite as nossas desculpas e tente novamente mais tarde. Detalhes: [details]

Download

Registo

Temos experienciado dificuldades técnicas. O seu pedido não foi submetido com sucesso. Por favor aceite as nossas desculpas e tente novamente mais tarde. Detalhes: [details]

Download

Obrigado por se registar na Omron

Foi-lhe enviado um e-mail para concluir o registo da sua conta para

Voltar ao Website

obtenha acesso directo

Preencha os seus dados abaixo e obtenha acesso directo ao conteúdo desta página

Text error notification

Text error notification

Checkbox error notification

Checkbox error notification

Temos experienciado dificuldades técnicas. O seu pedido não foi submetido com sucesso. Por favor aceite as nossas desculpas e tente novamente mais tarde. Detalhes: [details]

Download

Agradecemos o seu interesse

Já tem acesso a Da produção à gestão

Foi enviado um e-mail de confirmação para

Continuar para a página

ou obtenha acesso directo para transferir este documento

Da produção à gestão

A Ricoh, fabricante internacional de sistemas de impressão, está determinada a criar ligações entre a sua produção de tinteiros e as operações de recarga no Reino Unido, e ainda desenvolver uma base de dados ao nível de fábrica, utilizando a tecnologia de controlo da Omron para permitir comunicações bilaterais em tempo real, pela primeira vez.

A produção nas instalações da Ricoh em Telford, no Reino Unido, terá um acesso rápido e directo, através do controlador de automação de máquinas da série NJ da Omron, a uma nova base de dados de toda a instalação, compilada ao longo de um ano pelo Engenheiro Sénior Richard Aston e pela sua equipa.

"Passei os últimos 12 meses a desenvolver e testar um controlador NJ no local, e este está agora pronto a ser aplicado," diz Richard.

Em relação à base de dados, acrescenta: "A rastreabilidade dos produtos é essencial para os nossos processos de produção, não apenas na sua robustez mas também na velocidade com que é possível aceder à informação mais importante, para garantir que tomamos as decisões de negócio correctas. A capacidade de disponibilizar esta tecnologia à nossa empresa-mãe no Japão é um ponto principal para garantir que os nossos colegas japoneses têm a possibilidade de aceder aos dados de que necessitam com a rapidez e eficiência necessárias."

Atá à data, era necessário, actualizar individualmente, com muito esforço, os PLC individuais existentes nas linhas de produção da Ricoh com as novas informações de produto. Mas no futuro, os leitores de códigos e os sistemas de visão serão capazes de verificar não só os componentes individuais, comparando-os com as receitas de produtos definidas, mas também de actualizar activamente a base de dados com informações novas, poupando dezenas de milhares de libras e meses de desenvolvimento.

"Para nós é uma grande mudança passar a trabalhar com os NJ da Omron," comenta Richard. "É uma nova capacidade do controlador poder consultar e enviar informação para a base de dados. Anteriormente era sempre o servidor que acedia aos PLC individuais para recolher os dados, e não o contrário."

Com o fabrico de uma média de 15 000 tinteiros por mês, existem 12 variantes diferentes de tinteiros, incluindo em forma e cor, para a gama de impressoras ProTM LP5100S da Ricoh. As peças para cada tinteiro são enviadas do Japão com códigos QR para identificar tanto o número de série como o número de peça exclusivos. É ainda necessário fazer corresponder a cor correcta e a formulação do tinteiro.

A primeira aplicação do controlador NJ na Ricoh está nesta fase da linha. O processo começa com a emissão do calendário de produção pelo departamento de Gestão da Cadeia de Requisições. "O objectivo é que a folha de dados digitalizada permita ao NJ aceder à base de dados, definir a receita de execução activa e garantir que apenas as peças válidas para o tinteiro em questão são enviadas para a linha de fabrico", diz Richard. Actualmente, a média de tempo utilizado para seleccionar a receita está nos 30 segundos, mas com o novo sistema a selecção será instantânea e eliminará a possibilidade de seleccionar e executar o produto errado.

"O plano final é a capacidade de gerir a máquina remotamente, sem necessidade de uma folha de dados física nem de intervenção por parte da equipa de produção," comenta.

A segunda aplicação da tecnologia do controlador NJ está planeada para a extremidade oposta do ciclo de vida do produto, assim que os tinteiros usados são devolvidos à fábrica para recarga.

"Estes tinteiros são relativamente valiosos, motivo pelo qual cada vez mais nos dedicamos a maximização das oportunidades de reciclagem," diz Richard. "Mas se vamos incluir processos de reciclagem, têm de ser processos robustos, pois os produtos resultantes não podem apresentar uma prestação inferior à dos produtos não reciclados."

Até certo ponto, esta estratégia de reciclagem serve simplesmente para implementar a ampla política de sustentabilidade da empresa. Richard explica: "Quando o número de série é digitalizado, o NJ consulta a base de dados relativamente a dados específicos a um item. Isto inclui garantir que um determinado tinteiro não passou pelo sistema demasiadas vezes, mas capta a totalidade do fluxo de valor. Se for necessário fabricar um componente, é também necessário avaliar o valor de realizar esta acção mais do que uma vez.”

Com base nos dados a que acede, o controlador toma uma decisão imediata sobre se o tinteiro prossegue para recarga ou se deverá ser rejeitado.

Esta aplicação demonstra o enorme potencial da mais recente geração de controladores de máquinas da série NJ, tanto nestas como noutras definições de produção. Mesmo a velocidades elevadas da linha, permite uma recolha de dados e tomada de decisões a nível de itens, eficientemente localizadas, através de uma interacção bilateral com bases de dados e sistemas de gestão de nível empresarial ou que abrangem toda a fábrica, tornando os sistemas mais flexíveis, reconfiguráveis e resistentes a interrupções ou alterações no processo.

Além das vantagens associadas às comunicações "controlador - base de dados", e de já não ser necessário configurar os PLC individuais, o NJ proporciona ainda os benefícios adicionais de um design simplificado e compacto. Sendo um controlador multitarefa, por exemplo, inclui controlos integrados sobre as funções de segurança e movimento, ao invés de necessitar de vários sistemas em separado.

Se a comunicação entre o NJ e a base de dados da Ricoh no Reino Unido for tão eficiente como os testes sugerem, a empresa afirma ser capaz de visualizar configurações similares em outras linhas de produtos além da sua gama de impressoras ProTM LP5100S.

No que trata o funcionamento do sistema, Richard diz que a sua actual preferência relativamente a uma interface homem-máquina (HMI) é a nova série NA da Omron. Anteriormente, a Ricoh do Reino Unido instalou várias HMI NS. Mas, como explica Richard, "A NA incorpora capacidades para vários suportes, incluindo fotografias, vídeos e PDF, proporcionando aos operadores uma maior nitidez e controlo sobre as máquinas e processos, particularmente em relação à detecção de problemas e à manutenção."